Notícias

Open Banking: acelerando a personalização nos serviços financeiros

Por: Bianca Borges
COMPARTILHE

Alto nível de personalização e diversidade de ofertas são algumas das promessas do Open Banking

Open Banking ou Banco Aberto usa a tecnologia para possibilitar o compartilhamento de informações dos clientes dos bancos, fintechs e demais instituições financeiras através de um sistema de APIs (Application Programming Interface) que se conectam. Esse conceito, originário no Reino Unido, trará benefícios tanto para os consumidores como para o mercado.

“Além de favorecer a criação de produtos e serviços mais modernos para o cliente final, o Open Banking promete melhorar, e muito, a experiência do consumidor brasileiro, desde que utilizado de forma estratégica”, destaca Gustavo Abreu, Diretor de Desenvolvimento de Negócios da Zoly.

Essa tecnologia também vai proporcionar muitas oportunidades para as empresas do segmento financeiro, a expansão do mercado é uma delas. Por isso, aqui na Zoly, já estamos prontos para começar a potencializar estratégias digitais com o Open Banking.

E falando em otimização, um dos fatores responsáveis para que melhorias efetivas aconteçam, de fato, é a capacidade de ultra personalização das experiências.

É hora de personalizar para conquistar

Com o compartilhamento de dados previsto no Open Banking, as instituições vão conseguir ter acesso às movimentações e históricos financeiros dos consumidores e, assim, entenderão mais a fundo o perfil e as necessidades reais dos clientes, tendo mais insights para propor inovações em produtos e serviços. Nesse contexto, a forma de se conectar com o usuário vai mudar bastante, já que, será possível criar ofertas personalizadas que realmente fazem sentido para cada indivíduo, como explica Abreu:

“As instituições financeiras vão ter outras possibilidades de gerar vendas e abrir a esfera do diálogo que têm com o usuário atualmente. Por exemplo, a partir da análise dos dados compartilhados, poderemos eventualmente descobrir e ativar jornadas e produtos exclusivos para clientes com aderência a viagens. Nesse caso, o banco pode oferecer como diferencial um pacote de milhas exclusivo ou criar um plano de financiamento de viagens”.

Esse nível de personalização será assertivo para a aquisição de novos clientes e transformará a maneira como as empresas do segmento financeiro estabelecem o relacionamento com seus consumidores durante toda a jornada digital. 

E por falar em estabelecer laços fortes com o cliente…

Investir na melhoria de soluções fará a diferença na retenção e fidelização

Além de favorecer o processo de captação e atração de consumidores, o Open Banking também pode gerar efeitos positivos na retenção e fidelização de clientes, em função da oferta de soluções cada vez mais tailor-made. Essa prática ajudará a solucionar algumas dores, como por exemplo: aumentar a utilização das contas bancárias que são abertas.  

“Abrir conta digital virou uma commodity, porque é algo bem fácil atualmente. Muita gente faz isso para testar novas soluções e acaba não as usando depois. Diante disso, o desafio dos bancos é qualificar essas contas, fazendo o cliente utilizá-las na prática. Para driblar esse problema, as instituições bancárias precisam diversificar seus produtos e serviços, trazendo mais opções e benefícios para o consumidor. Com o Open Banking e o acesso a mais informações sobre o perfil de cada cliente, essa tarefa se tornará mais fácil”, destaca o Diretor de de Desenvolvimento de Negócios da Zoly.

O conceito de Banco Aberto não vai apenas contribuir para que as empresas do segmento financeiro forneçam produtos ou serviços sob medida para cada usuário, também facilitará processos, descomplicando alguns pontos de atrito. Abreu dá um exemplo prático:

“Quando você abre uma conta, o primeiro cartão que é enviado é geralmente o de débito. Na teoria, com o Open Banking, o processo de oferta do cartão de crédito será simplificado, isso porque, através do compartilhamento de dados, o novo banco já vai ter um histórico de informações que permitirão avaliar antecipadamente o perfil do usuário e oferecer a solução mais adequada para aquele consumidor. E essa é só uma das oportunidades de causar impacto positivo na jornada do cliente”.

Vale ressaltar que toda essa ultra personalização e possibilidade de melhoria dos produtos e serviços oferecidos pelas intuições financeiras só vai acontecer se o compartilhamento de dados for autorizado pelo próprio cliente.

O Open Bank está alinhado com os princípios da LGPD. É o usuário quem escolhe com que intuições vai dividir suas informações e por quanto tempo, podendo pedir a exclusão dos seus dados tão logo que achar necessário. Para as organizações do mercado financeiro fica o compromisso de efetuar o processo com transparência e segurança, respeitando o consumidor.

Sua empresa está pronta para gerar novos negócios com o Open Banking? A Zoly está, e podemos te ajudar com isso.  Fale com os nossos especialistas

    • Receba nosso conteúdo em primeira mão.