PT  /  EN

A ciência do SEO com o aumento da busca por voz

A busca por voz tem se tornado cada vez mais comum no Brasil e no mundo. Nesse contexto, uma das práticas que as empresas vão precisar adaptar é o SEO. Veja aqui dicas de como ter sucesso nessa tarefa.

Notícias

Com o hábito da busca por voz em ascensão, uma das práticas que as empresas vão precisar adaptar é o SEO. Veja dicas de como ter sucesso nessa tarefa

 

Por Bianca Borges*

 

A busca por voz tem se tornado cada vez mais comum no Brasil e no mundo. De acordo com a pesquisa Panorama Mobile Time, idealizada pela Opinion Box, 64% dos consumidores brasileiros já utilizaram esse recurso por meio dos seus smartphones. Outro estudo, desta vez realizado pela ComScore, constatou que, até 2020, metade das pesquisas realizadas na internet serão feitas através da voz.

Esses dados evidenciam as mudanças no comportamento do consumidor e, ao mesmo tempo, a necessidade das marcas se adequarem aos novos hábitos dos seus clientes. Nesse contexto, uma das práticas que as empresas vão precisar adaptar é o SEO.

A técnica, utilizada para conquistar relevância e posições nas primeiras páginas das ferramentas de busca, está em constante mutação; novas táticas são incluídas e outras transformadas de acordo com a atualização do algoritmo do Google, que tem como intuito fornecer a melhor experiência para o usuário.

Com a busca por voz inserida na rotina de um grande número de internautas, as plataformas de pesquisa começaram a considerar esse quesito para a otimização de sites.

 

Como funciona o algoritmo

Com a atualização do algoritmo do Google, houve uma melhoria significativa na identificação da intenção do usuário por trás da pesquisa, capacidade que vai além de entender palavras: o objetivo é entender o modelo mental do usuário.

O algoritmo coleta e interpreta conjuntos de dados como a localização dos usuários e as palavras-chave da busca. O objetivo aqui é captar a verdadeira intenção do usuário e direcioná-los para os sites mais relevantes possíveis. Com o tempo, o algoritmo treina o computador para combinar os sinais com os resultados e usa os cálculos para classificar os sites no mecanismo de busca”, explica o Coordenador de SEO da ZOLY, Fábio Assis.

Esse funcionamento pode ser ilustrado com uma simples pergunta: onde é a pizzaria mais próxima?

Em segundos, o mecanismo de busca pode acessar todas as pizzarias mais próximas. Os sites com a classificação mais evidente, provavelmente, serão aqueles que estão geograficamente mais perto de você. A busca por voz também pode considerar a força das resenhas, ou seja, das reviews dos usuários. Por isso, esses depoimentos são importantes durante o trabalho de local search.

Outra informação que poderá ser levada em conta pelo algoritmo é o seu histórico: ele pode recomendar alguma pizzaria que você já visitou ou alguma outra que esteja vinculada aos seus contatos.

Nos dias de hoje é preciso ter empatia para desempenhar uma atividade de otimização. Se colocar no lugar do cliente/usuário é fundamental para que você entenda os algoritmos e compreenda a intenção de busca”, ressalta Assis.

 

Dicas para potencializar a posição da sua marca na web

Pensando na busca por voz, as marcas precisam adaptar seus sites para otimizar sua classificação no Google ou em outros buscadores. Confira a seguir algumas dicas da equipe de SEO da ZOLY para ter sucesso nessa tarefa:

Pesquisas Long Tail: antes de tudo, entenda a intenção de busca do usuário e coloque-se no lugar dele.

Mobile First e Indexing: o mercado já está cansado de evangelizar, mas é importante relembrar que é preciso preparar o conteúdo para a indexação que prioriza dispositivos móveis.

Tempo de Carregamento: essa dica pode parecer fácil, mas é o lugar em que todos morrem na praia. O mantra é desenvolver para ter performance, e esse é o primeiro exercício a ser realizado. Depois priorize, priorize e priorize novamente. Faça testes e mais testes… E não esqueça do trabalho de relatoria: saber o que funcionou será essencial.

Snippets de texto relevantes e contextuais: trabalhe blocos de conteúdo com cerca de 29 palavras. Esses blocos podem se tornar destaques nas pesquisas, ou seja, a famosa posição zero do ranking para respostas.

Local Search: a otimização para as pesquisas locais não morreu, está mais viva do que nunca e tudo vai depender do seu objetivo de negócio.

Schema Metadata: utilize os microdados quando convém para não impactar os seus resultados atuais. Implementar para deixar a serp (“search engine result page”) bonita e derrubar os resultados não faz sentido.

Google Maps: usar o recurso quando necessário, tanto nas campanhas de SEO quanto nas campanhas de Google Ads, contribui para a relevância do conteúdo e da campanha do projeto.

Campanhas de Google Ads para resultados locais: parece que não, mas o trabalho integrado tem impacto significativo no resultado.Vale ressaltar que não estamos dizendo que fazer Google Ads contribui para relevância do SEO, como muitos já disseram. O que queremos salientar aqui é que a campanha no Ads colabora para a performance do projeto.

 

Um olhar para o futuro do mercado

A busca por voz vai continuar em ascensão. Em mercados internacionais como China, EUA e Inglaterra, além dos celulares, outro fator que faz com que esse tipo de pesquisa cresça bastante são os smart speakers com as suas assistentes inteligentes, como a Cortana, a Alexa e a Siri. Para se ter uma ideia, a China espera ter mais de 85.5 milhões de smart speakers até o final de 2019, os Estados Unidos, 74.2 milhões.

Essa tendência também é muito bem vista pelas marcas. De acordo com a pesquisa da Adobe Analytics, 66% das empresas entrevistadas concordaram que a voz pode auxiliar a impulsionar a conversão e aumentar a receita e 71% delas acredita na melhora da experiência do usuário com esse recurso. Apesar disso, o estudo também constatou que muitas marcas ainda estão em fase de testes e exploração do conceito.

Aqui no Brasil, os smart speakers não são tão comuns quanto no mercado internacional, mas, recentemente, a Amazon anunciou que está treinando a Alexa, sua assistente virtual, para falar português, visando o território brasileiro. Já estão sendo feitos os primeiros testes com o aparelho, que tem previsão de lançamento ainda em 2019.

A Amazon é famosa por transformar os modelos de negócios nas áreas em que está inserida. Diante desse cenário, podemos esperar por mudanças no mercado nacional.

 

Quer saber mais sobre como otimizar o seu site para os mecanismos de pesquisa do Google? Entre em contato com a equipe de especialistas da ZOLY e descubra como podemos te ajudar a conquistar essa meta.

 

(*) Bianca Borges é Analista de Comunicação da ZOLY. Jornalista formada pela Universidade Anhembi Morumbi, também possui experiência nas áreas de assessoria de imprensa e gestão de mídias sociais. Gosta de escrever sobre diversos assuntos, mas, atualmente, seu foco é o Marketing Digital e Data Business. 

  • @agenciazoly
  • /in/zoly
  • contato@zoly.com.br
  • Trabalhe na Zoly

    Estamos sempre à procura dos mais talentosos designers, engenheiros, administradores, publicitários... Conheça as oportunidades de trabalhar aqui.

    Veja mais

Mensagem enviada com sucesso.

Enviando...